Home / Dicas de Viagens /

As 10 Melhores Peregrinações Históricas ao Redor do Mundo

As 10 Melhores Peregrinações Históricas ao Redor do Mundo

by Gonçalo Sousa

Share this article

Se você deseja encontrar transformação espiritual e física nas viagens mais sagradas do mundo, então este é o artigo certo para ler! Neste post focamos a nossa atenção nas 10 Melhores Peregrinações Históricas ao Redor do Mundo.

Naturalmente existem outros locais sagrados para visitar, mas as que recomendamos primeiro estão aqui mesmo em baixo. Confira agora!

 

Lista com 10 Melhores Peregrinações Históricas ao Redor do Mundo

 

Bodh Gaya, Bihar, Índia

O centro espiritual do budismo é o Bodh Gaya, na Índia, cuja famosa figueira terá abrigado Siddhartha Guatama enquanto meditou,por sete dias, durante a sua procura pela iluminação. Hoje, a árvore (descendente da original) e o Templo Mahabodhi, em forma de pirâmide, estão entre os locais mais sagrados do budismo.

 

Trilho de São Paulo, Turquia

Este robusto trilho de 500 quilómetros segue parcialmente a jornada de São Paulo para difundir o cristianismo.Indo de Perg ou Aspendos até Antioch, a rota passa por perfumados pinhais e lagos que parecem miragens.

 

Marcha pelo Emprego e Liberdade, Washington, D.C.

Fotos da Marcha de 1963 em Washington pelo Emprego e Liberdade mostram um mar de pessoas inundando o National Mall e desfrutando do clima de festa. Mais de 250.000 juntaram-se ao comício entre o Monumento Washington e o Lincoln Memorial, alguns tendo viajado desde o Sul. O seu prémio – o discurso “I Have A Dream” de Dr. Martin Luther King, Jr., que é certamente uma das orações mais emocionantes jamais proferidas.

 

 

St. Patrick’s Footsteps, Irlanda

Pararefazer os passos de St. Patrick, pode retirar-se para a ilha de Lough Derg, ou subir – descalço é o hábito – Patrick-Croagh. Mas outros locais associados requerem menos esforço, como a cidade de Downpatrick, na Irlanda do Norte, que abriga o túmulo do santo e uma exposição do museu sobre sua vida e seu legado assim como uma variedade de artigos religiosos de referência.

 

Missão Moffat, Cabo do Norte, África do Sul

Em1838, o missionário Robert Moffat montou o seu telhado de colmo “Catedral do Kalahari”, com o objetivo de converter os habitantes locais ao cristianismo e partilhar artigos de mosteiro com os locais. Ele traduziu arduamente a Bíblia para Setswana, imprimindo-a em uma prensa ainda em uso na missão.

 

Rota dos Santos, Cracóvia, Polónia

Wawel Hill apresenta uma catedral do século XIV com 19 capelas e um conjunto ornamentado de túmulos, incluindo um dos patronos da Polónia, São Estanislau. Veja cenas bordadas da sua vida num manto de 500 anos exposto no museu da catedral.

 

Trilho dos Pioneiros Mórmons, Estados Unidos da América

Em1846, mais de 70.000 mórmons, movidos pelo desejo de encontrar um lugar onde pudessem seguir seu credo em paz, viajaram do oeste de Nauvoo, Illinois, para Salt Lake City, Utah. Usando carroças e carrinhos de mão para cobrir o que é hoje o trilho Histórico Nacional Pioneiro Mórmon, eles cruzaram 1.300 milhas (2.092 quilómetros) de terreno acidentado. Os sortudos chegaram ao Utah em 1847.

 

 

Catedral de Canterbury, Kent, Inglaterra

Uma peregrinação a Canterbury presta homenagem a um santo amado, uma catedral gloriosa, uma obra gigantesca de literatura, e uma história humana simples. O assassinato do arcebispo Thomas Becket no altar por quatro cavaleiros de Henrique II em 1170 garantiu quase imediatamente a sua fama de milagreiro. O seu santuário atraiu peregrinos à procura de curas – ou simplesmente de passar um bom momento – como imortalizado nos Contos de Canterbury de Chaucer.

 

Sal Satyagraha, Índia

Em1930, Mahatma Gandhi partiu com 78 seguidores do Ashram de Sabarmati para caminhar até ao mar em Dandi, Gujarat, em protesto não violento contra o imposto britânico sobre o sal. A marcha de 248 milhas (400 quilómetros) de Sal Satyagraha durou de 12 de março a 5 de abril e instigou uma resistência generalizada ao domínio britânico sobre a Índia.

 

Eleanor Crosses, Inglaterra

Quando a esposa de Eduardo I, Eleanor de Castela, morreu de febre em 1290, ele mandou levar o corpo dela 108 milhas (174 quilómetros) para sul, de Lincoln a Londres, para o funeral, ordenando a construção de cruzes onde quer que o cortejo descansasse. Uma delas deu inclusive o nome ao centro oficial de Londres, Charing Cross.

 

POSTS RELACIONADOS

 

Share this article

Leave a comment

Your email address will not be published.