Home / Dicas de Viagens /

Saiba quais os 7 erros que os viajantes não devem cometer

erros

Saiba quais os 7 erros que os viajantes não devem cometer

Eduardo Aranha
by Eduardo Aranha

Share this article

Na pressa de comprar passagens aéreas para ir de férias, muitos viajantes acabam por cometer alguns erros que podem ser prejudiciais para a viagem. Quer por acharem que é algo absolutamente dispensável da viagem, quer por acreditarem que há outras prioridades a considerar na altura fazer a mala.

Por outro lado, não é apenas antes das viagens que se cometem erros. Também durante as mesmas se podem cometer falhas que afetam diretamente a sua viagem e não o deixam usufruir das férias merecidas da melhor forma. Afinal de contas, após o investimento empreendido na viagem, não é conveniente que ponha em risco as suas férias ou não tire o máximo de partido delas simplesmente porque cometeu erros que podiam ser evitados.

Ao longo dos próximos parágrafos procuramos identificar alguns erros cometidos por viajantes e perceber como os pode evitar daqui para a frente.

7 erros que os viajantes não deviam cometer

1 – Rota pré-definida

Parta nas suas férias sem uma rota definida. Se tiver dinheiro, parta mesmo sem pensar em regresso: deixe-se ir por aquilo que o mundo tem para oferecer, pelas pessoas interessantes que passam pelo seu caminho e pela cultura que o fará prolongar a estadia. Siga as pessoas em vez dos lugares: é a melhor rota de qualquer viagem.

2 – Obedecer às suas inibições

Sempre que viajamos sozinho temos oportunidade de fazer coisas que normalmente não se fariam, deixando de lado certas inibições para nos deixarmos levar pela corrente. À medida que as oportunidades forem surgindo, aprenda a agarrá-las e a pensar em dizer sim em vez de dizer automaticamente que não. Aceite boleias que lhe apareçam na estrada, troque os hotéis e hostels pelo quarto de hóspedes de um simpático local e participe em atividades comunitárias que lhe darão um gosto mais próximo do que é viver naquele país. Mas cuidado: todas as suas decisões devem ser baseadas em segurança e bom senso.

3 – Irritação

Os viajantes estão expostos a muitas fontes de irritação: a viagem de avião pode atrasar, os trajetos de autocarro entre uma cidade e outra podem durar horas e o restaurante onde quer jantar não tem mesa para si. As reacções mais comuns perante tais situações passam pela irritação, reclamação e mau humor. No entanto, porque não canalizar essa irritação em algo produtivo? Utilize, por exemplo, as horas de espera para conhecer as pessoas e pequenos segredos escondidos no destino onde se encontra.

4 –  A melhor época para viajar

A melhor época para viajar. Quantas vezes fazemos essa pergunta ou supomos ideias na nossa cabeça? Mas a resposta que damos aqui é diferente daquele que está à espera. A melhor época para viajar não passa de um mito. Se os compromissos pessoais e calendário de férias permitirem, viaje fora da época alta (verão, datas comemorativas etc.). Porquê? É fácil: as passagens aéreas são sempre mais baratas e há maior disponibilidade e melhores preços nos hotéis e hostels.

5 – Não se torne snob

Mesmo que não goste de multidões ou de pagar muito mais para visitar uma certa localização, não desrespeite quem o faz. Muitos turistas que passam por Paris fazem questão de subir ao topo da Torre Eiffel, concretizando o típico cliché da visita, enfrentando multidões e preços altos para o fazer. Se para você não faz sentido visitar este tipo de atrações, não precisa de gozar com quem o faz. Faça o que lhe apetece, conheça aquilo com que mais sonha: a vontade e a frustração de não ter será bastante pior.

6 – Seguro de viagem

Quem pode dizer que já viajou bastante e nunca pagou por um seguro de viagem? A grande maioria. Ainda assim, o seguro de viagem é um cuidado que pode salvaguardar as suas férias e protegê-lo de qualquer infortúnio que venha a acontecer. Afinal de contas, a regra do “as coisas só acontecem aos outros” aplica-se sempre até ao dia em que nos acontece a nós. Todavia, quando acontece, é melhor estar prevenido de alguma forma. Perda da bagagem, cancelamentos de voos e hospedagem, gastos inesperados com hospitais e despesas médicas: tudo isto pode pesar menos com a ajuda de um seguro.

7 – Prevenção

Ir com o dinheiro contado às vezes é uma necessidade, mas e se de repente lhe surge uma despesa de emergência, como uma noite extra no hotel ou um voo perdido que precisa de marcar novamente? Nestes casos, um cartão de crédito é sempre uma segurança, ainda que seja melhor nunca usá-lo. Tenha ainda o cuidado de proteger os seus documentos em bolsas separadas, para que tenha sempre cartões de pagamento e cartões de identificação caso algo aconteça a uma das suas bolsas.

POSTS RELACIONADOS

 

Share this article

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *