Home / Dicas de Viagens /

10 Melhores lugares do mundo para passar a reforma

10 Melhores lugares do mundo para passar a reforma

 

Depois de uma vida de trabalho e de poupança, a reforma é um período em que devemos aproveitar os anos que nos restam para fazer aquilo que bem nos apetecer. Rever velhos amigos sem nos preocuparmos com a data de regresso, conhecer lugares que – por força das circunstâncias – nunca chegamos a visitar, experimentar novas culturas. Estas são só algumas das ocupações que nos parecem interessantes, independentemente da idade.

Ainda assim, resolvemos trazer-lhe, neste artigo, uma lista dos 10 melhores lugares do mundo para passar a reforma. As conclusões são do website norte-americano Live and Invest Overseas, uma plataforma de informação com oportunidades para quem quer viver melhor, reformar-se com qualidade ou investir no turismo.

Para chegar às conclusões, que em seguida lhe apresentamos, foram tidos em conta fatores como a localização, o custo de vida e as infraestrutas existentes nos locais. Conheçamos agora os sítios recomendados.

Top 10 dos locais para passar a reforma

Algarve, Portugal

De acordo com o Live and Invest Overseas, o Algarve é “a melhor região para se reformar de que ninguém anda a falar”. Apesar de ser menos conhecido do que algumas das regiões que se encontram nesta lista, podemos dizer que a zona no sul de Portugal tem vindo a crescer em popularidade e, hoje, já não é assim tão incomum encontrarmos pessoas que a escolhem para passar a reforma.

Entre os fatores a destacar há as 3300 horas de sol por ano, banhadas pelas mais belas praias. A isto junta-se o crescimento daquilo a que chamamos turismo médico e o custo de vida relativamente acessível. Comparativamente aos restantes países da Europa Ocidental, o país é bastante barato e basta ter um orçamento de cerca de 1,099 euros para viver de forma cómoda. Com um orçamento de 1,780 euros, a empresa diz que é possível desfrutar de praticamente todas as regalias que o país tem para oferecer.

Cuenca, Equador

Para os fãs da América Latina e para aqueles que gostam de cidades tranquilas com muito para visitar, Cuenca pode ser a escolha certa para passar a reforma. A arquitetura de origem hispânica possui exotismo que apenas perde para o ambiente. Povoado por temperaturas primaveris e gente simpática, a região já é escolhida por muitos norte-americanos que procuram um local onde passar a reforma.

O nível de vida é relativamente acessível: um casal consegue viver confortavelmente com menos de 978 dólares por mês. Os custos com a saúde são muito elevados, mas há que ter em atenção que o Equador é um país pobre, ainda em desenvolvimento. Como tal, as infraestruturas nem sempre são as melhores e tratar de questões administrativas pode ser um verdadeiro tormento. A beleza compensa, mas é necessário ter alguns cuidados.

George Town, Malásia

George Town, no sudeste asiático, é um bom exemplo de como uma cidade se desenvolve mantendo tradições ancestrais. O resultado desta mistura de novidade com história é um local onde coexistem templos com arranha-céus, lojas chinesas e praias para ir a banhos. Aqui, o inglês é uma língua muito falada, fator que torna mais simples todo o processo de comunicação. A vida noturna também é bastante ativa e não é muito difícil encontrar espetáculos de música ou teatros para passar umas boas horas de entretenimento.

Se, de facto, decidir passar a reforma em George Town considere em investir em transporte próprio: os transportes públicos cobrem a maior parte da cidade, mas não são os mais eficientes. A comida é bastante barata, sendo possível gastar apenas 3 dólares por pessoa. A variedade, por sua vez, é enorme, pelo que facilmente encontrará pratos chineses, malásios, indianos, entre outros. Os preços de habitação também são acessíveis: um apartamento para duas pessoas rondará os 800 dólares mensais. Se quiser uma moradia perto do mar, gastará cerca de 3000 dólares por mês.

Belize do Norte

Está a ver aquelas ilhas de águas cristalinas que só parecem reais em filmes? Pois, é precisamente um cenário como este que pode encontrar na região a norte do Belize. Junte-lhe pessoas simpáticas e acolhedoras, temperaturas agradáveis e ambientes tranquilos, e tem a reforma de sonho. O país é uma das escolhas mais baratas para quem quer viver nas Caraíbas: um casal deverá gastar um pouco menos de 1,468 dólares americanos para viver confortavelmente.

O clima é indicado para os que gostam de temperaturas tendencialmente altas, refrescadas por uma leve brisa marítima. Um dos fatores contra é a falta de infraestruturas que, apesar de tudo, têm vindo a ser desenvolvidas nos últimos anos. Grande parte das estradas ainda são em terra batida, pelo que o melhor é viajar num 4×4, certificando-se de que leva consigo um pneu suplente e um grande tanque de água para combater o calor.

Dumaguete, Filipinas

A beleza natural é o principal foco de atração da filipina Dumaguete, capital da província de Negros Oriental. Muito popular entre estudantes universitários, a região acolhe aquela que foi a primeira universidade americana a ser instalada na Ásia, a Universidade de Silliman. O dinamismo cultural é, por isso, constante, fazendo parte do grupo de razões que tem levado muitos estrangeiros a instalar-se em Dumaguete.

 

A cidade possui programas de alojamento que ajudam quem procura instalar-se por lá. Por 500 dólares mensais ou menos, não será difícil encontrar uma habitação confortável . Os restaurantes que alimentam os estudantes também são baratos e se quisermos prato mais elaborado, os valores não devem ir muito além dos 10 dólares. Hospitais e cuidados médicos também oferecem boas condições, sendo o único senão os furacões que volta e meia atingem a região. Tirando isso, as temperaturas são geralmente agradáveis.

Pau, França

Depois das cidades costeiras, chega agora a altura de falarmos para os adeptos de montanha e de paisagens verdes. Afinal, não é por acaso que Pau é muitas vezes chamada de “a cidade verde” ou “a cidade jardim”. Localizada nos Pirinéus franceses, a cidade está repleta de edifícios rústicos, ladeados por jardins com plantas de todas as partes do mundo. Além da vegetação local, encontramos aqui árvores do México, das Caraíbas, do Líbano, do Chile e até do Japão.

A zona antiga da cidade alberga também uma universidade e, para viver por lá, será necessário um orçamento mensal de pelo menos 1800 euros por casal. Mais de metade será para a renda  que deve rondar os 980 euros mensais. Os acessos são bastante bons e as infraestruturas oferecem soluções rápidas e eficientes.

Medellin, Colômbia

A cidade que se tornou famosa por causa do narcotraficante Pablo Escobar tem atraído as atenções de muitos curiosos. O ambiente comunitário que se vive distingue-se pela originalidade e não há como ficar indiferente à hospitalidade e às tradições que aqui vivem. Depois de um bom jantar com comida tradicional, sugerimos bom espetáculo num dos 28 teatros da cidade ou uma visita aos cerca de 40 museus. Se o tempo estiver bom, passe pelo jardim, leve um livro ou admire a beleza natural.

A cidade é provavelmente a mais barata de toda a América e, com menos de 1000 euros, é possível viver de forma muito desafogada. O número de lojas, bancos, serviços financeiros é também bastante elevado, oferecendo excelentes condições. Não deverá ter qualquer problema com as infraestruturas, por isso, sobrará tempo para que aproveite o sol e as temperaturas amenas.

Abruzzo, Itália

Os cenários pitorescos de Itália não deixam ninguém indiferente e não podiam faltar numa lista em que falamos de  melhores sítios para passar a reforma. A escolha do Live and Invest Overseas recaiu sobre Abruzzo, um região perto de Roma que marca pelo estilo de vida calmo e tranquilo, indicado para todos os que querem fugir aos ritmos de vida acelerados das grandes cidades.

Comer uma pizza tradicional, feita no forno a lenha, é algo que aqui não será difícil, assim como encontrar uma trattoria com as pastas mais frescas. A proximidade com a capital é suficiente para que possamos passar um fim-de-semana mais agitado ou visitemos a Fontana di Trevi e o Vaticano sempre que desejarmos. Os custos totais devem rondar os 1500 euros mensais, dos quais 674 euros são para o alojamento e 257 euros para o entretenimento.

Pedasi, Panamá

Apesar das dimensões, Pedasi mantém um ambiente de vila piscatória, o que lhe dá ainda mais encanto. Situada na península de Azuero, a zona costeira oferece paisagens de tirar a respiração sobre um mar de tons azul turquesa e longas praias para ir a banhos no verão e molhar os pés no inverno. A fauna e a flora são abundantes, ocupando não só a orla marítima como também os rios e as cascatas que aqui existem em abundância.

Todos estes fatores fazem de Pedasi o sítio indicado para os que procuram a tranquilidade e o despojo de uma vila pacata, onde as tradições ainda são o que eram. Local de calma e quietude, a zona destaca-se pelo modo de vida simples que não deverá exceder os 1,241 dólares americanos por mês. As estradas são boas e têm sido melhoradas, os transportes não deixam a desejar e é possível chegar facilmente ao aeroporto mais próximo.

Istambul, Turquia

Os adeptos da cultura oriental encontrarão o sítio ideal para descansar na Turquia. Sendo um país muito aberto ao ocidente, o choque cultural continua a ser grande, mas mantêm-se todas as condições para que possa levar um estilo de vida confortável. Cafés, jardins e atividades culturais fazem com que a cidade de Istambul seja frequentemente apelidada de “Paris Oriental”, epíteto merecido se considerarmos o ambiente que ali se vive.

A cidade é uma opção para todos os que não querem nada de extremamente tranquilo. Ao todo, estima-se que existam cerca de 20 milhões de pessoas a viver em Istambul. O ruído das ruas e o dinamismo económico dos mercados é, por si só, uma atração e podemos mesmo dizer que, sem eles, a cidade não seria a mesma. Se for viver em Istambul, o melhor é procurar um apartamento fora do centro: a zona é maioritariamente ocupada pelos serviços, motivo pelo qual não há muitas habitações (as que existem são normalmente caras). Um casal deve conseguir viver com cerca de 1000 euros mensais.

 

Partilhe este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *