Home / Cidades /

O que há para ver na cidade cubana de Santa Clara?

O que há para ver na cidade cubana de Santa Clara?

 

Fundada a 15 de julho de 1689 por um grupo de habitantes de Remedios que se deslocaram da costa para ficarem a salvo dos ataques dos piratas, Santa Clara foi durante séculos a capital da província de Las Villas, que incluía as actuais províncias de Cienfuegos, Sancti Spíritus e Villa Clara.

Em 1958, teve aqui lugar a última batalha da luta de guerrilha dirigida por Che Guevara, que pôs fim à ditadura de Fulgencio Batista. Quase cinquenta anos depois, Santa Clara é conhecida por “a cidade da guerrilha histórica”. Atualmente, é um cidade animada com vários locais de interesse para visitar.

Pontos de passagem obrigatória em Santa Clara

Parque Leôncio Vidal

Esta praça encantadora no coração da cidade com os seus canteiros de flores, bancos de ferro forjado e candeeiros de iluminação pública antigos, conserva o aspecto original de 1925. O obelisco que aí se vê foi encomendado por Martha Abreu de Estévez, uma herdeira rica, que mandou erigir o monumento em honra de dois sacerdotes: Juan de Conyedo e Hurtado de Mendoza. No Parque existe também um busto de Leôncio Vidal, coronel do exército de independência, que morreu em combate em 1896  nesta mesma praça. Há ainda uma fonte e uma escultura intitulada Niño de la Bota, comprada  a um comerciante de arte de Nova Iorque.

Teatro de la Caridad

Construído segundo projecto do engenheiro Herminio Leiva y Aguilera para a herdeira Martha Abreu de Estévez, este teatro foi inaugurado em 1885. O teatro oferecia serviços adicionais (barbeiro, sala de baile e de jogo e restaurante) com o objetivo de obter dinheiro para ser dado aos pobres da cidade (daí o nome Teatro da Caridade).

Durante a minha visita à cidade de Santa Clara capturei algumas imagens onde é possível ver muitos dos monumentos que refiro neste post.


Se gostou do video, subscreva o canal de YouTube do Mundo de Viagens para aceder a mais conteúdos.

Museo de Artes Decorativas

Este museu funciona num edifício de 1810 e contem mobiliário dos séculos XVII, XVIII, XIX e XX, assim como acessórios e telas que pertenceram às mais importantes famílias locais. Os objetos doados pela poetisa cubana Dulce Maria Loynaz são especialmente bonitos e elegantes: cinco leques, onze esculturas e dois jarrões de porcelana de Sèvres, os maiores do género em Cuba.

Tren Blindado Monument

A 18 de dezembro de 1958, com a colaboração de apenas 300 homens, Che Guevara conquistou a cidade, ferozmente defendida por 3000 soldados de Batista. No dia seguinte, infligiu outro severo revés, ao fazer descarrilar um comboio blindado que deveria transportar 408 soldados e armamento para a região oriental de Cuba, a fim de impedir o avanço dos rebeldes.

O escultor cubano José Delarra celebrou o acontecimento com a criação de um monumento/museu no local do descarrilamento, a nordeste de Santa Clara, mais precisamente na linha de Remedios. A sequência dos acontecimentos é recriada recorrendo a elementos originais, tais como as quatro carruagens do comboio blindado, mapas e planos militares, fotografias e armamento.

Parque Tudury

Esta praça diante da igreja neoclássica de Nuestra Señora del Carmen (1756) também é chamada Parque El Carmen. Aqui se ergue um monumento comemorativo da fundação da cidade de Santa Clara. Foi erigido em 1951 em volta de um tamarindo, no local onde, a 15 de julho de 1698, foi celebrada a primeira missa na nova cidade. O monumento consiste em 18 colunas onde estão gravados os nomes das primeiras famílias de Santa Clara, com uma cruz no cimo.

 

Conjunto Escultório “Comandante Ernesto Che Guevara”

O monumento da Plaza de la Revolución foi construído para comemorar o 30.º aniversário da batalha de Santa Clara. É da autoria do arquitecto Jorge Cao Campos e do escultor José Delarra e foi inaugurado a 28 de dezembro de 1988. O complexo compreende um museu e memorial de Che Guevara. A dominar o monumento vê-se uma estátua de bronze de Che com o braço engessado (partira-o na batalha precedente). Sob esta, num baixo-relevo que representa cenas de batalha, estão gravadas as palavras históricas que escreveu na sua carta de despedida, antes de partir para a Bolívia. Por baixo do monumento (a entrada é pelas traseiras), encontra-se o museu, projectado pela arquitecta Blanca Hernández Guivernau, onde estão expostos objetos pessoais de Che Guevara.

Eis algumas fotografias que mostram bem o que podemos encontrar na cidade de Santa Clara.

 

 

[tp_hotel_selections_widget id=30483 type=compact limit=5 subid=””]

 

Partilhe este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *