Home / Ásia /

Índia: um país de sabores picantes e influências portuguesas

índia

Índia: um país de sabores picantes e influências portuguesas

 

Se não sabe para onde viajar, sugerimos que faça uma visita a Goa, na Índia. Por aqui há arquitectura colonial e longos areais com sombras de palmeira. Com mais de 100 quilómetros de costa, encontrará várias praias – a de Agonda, no Sul, é uma das mais tranquilas enquanto a de Baga, no Norte, é conhecida pelas festas e pelo bom marisco.

Pangim (ou Nova Goa), a capital, é onde os templos hindus e as mesquitas se misturam com palácios e igrejas de arquitectura portuguesa. Aqui, pernoitar num hotel de três estrelas, como o The Hawaii Comforts fica por 20 euros por pessoa. A cerca de 30 quilómetros está Vasco da Gama, a cidade que ficou com o nome do navegador português. Já na Velha Goa, não pode perder uma visita à Basílica do Bom Jesus. A igreja do século XVII, exemplar da arte barroca, tem chão em mármore e altares elaborados: é uma das mais antigas da Índia e onde está sepultado São Francisco Xavier.

Depois, rume a Norte. A cosmopolita Deli surpreende com as suas nuances antigas e modernas. Já Agra, por outro lado, tem imponentes fortes e templos, assim como aquela que é recordada como a verdadeira pérola da Índia: o Taj Mahal, prova de amor que atrai todos os anos cerca de 8 milhões de visitantes.

Over one million Indians from the state of Maharastra flock to the Pandurpur at the culmination of a pilgrimage from across the state to mark the pilgrimage that Saint Dynashewar made to Pandurpur around 1200 ad. The ceremoney of Ashadh Ekadashi, which is marked by the lunar calendar, usually falls in the height of the monsoon season, after farmers have sown their seeds, and are waiting for weeding.The holy ceremony falls on the 14 July, 2008.

Sem desviar muito da rota, dê um salto ao Rajastão para conhecer Jaipur. Este trata-se de um antigo templo de que os macacos de apoderaram e que inclui ainda uma reserva de elefantes naquele que é um colorido e rico palácio da cidade, numa zona velha com paredes pintadas de cor-de-rosa.

Descanse em hotéis ou guesthouses a partir de 5 euros por noite: se puder ganhar mais aposte ainda no Vimal Heritage, um hotel exuberante de arquitectura rajastani. Depois, reserve os seus bilhetes para o Rajmandir. Neste cinema dos anos 70 vê-se mais do que filmes: na rua, tiram-se fotografias enquanto lá dentro se vive o enredo. Vale a pena experimentar.

 

O que comer na Índia?

india-comida

Uma coisa que precisa de saber é que a comida indiana é sempre muito picante. Ainda assim, em alguns restaurantes é possível desfrutar da boa comida local quando conseguimos convencer o empregado de mesa e o cozinheiro a não colocar picante na comida. Nem um bocadinho! Ainda assim, é preciso insistir muito.

A maior parte da população indiana é vegetariana: isto significa que abundam nos menus os pratos à base de verduras e vegetais, sempre bem marinados com molho picante. Entretanto, carne de vaca é algo que não encontrará nos pratos. A maioria dos hotéis, mesmo os económicos, também têm restaurantes e, muitas vezes, são uma opção muito válida para almoçar ou jantar.

Como ir e quando?

De Portugal para a Índia pode apanhar um voo a partir de Lisboa. Os preços de ida e volta rondam os 450 a 500 euros, dependendo sempre da altura do ano. Entretanto, a melhor altura para visitar a Índia acontece a partir de Novembro, quando as chuvas começam a abrandar, até Maio, aquele que é sem dúvida o mês mais quente do ano.


 

Partilhe este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *