Home / Dicas de Viagens /

Descubra agora 8 atrações turísticas de Ferreira do Alentejo

Descubra agora 8 atrações turísticas de Ferreira do Alentejo

 

Ao que tudo indica, Ferreira do Alentejo terá nascido no período neolítico. Desde então, a vila alentejana foi ocupada por vários povos – facto comprovado pelos inúmeros achados arqueológicos de origem calcolítica, visigótica, romana e árabe.

A terra entrou para as fronteiras portuguesas no ano de 1233, data em que foi conquistada aos Mouros e entregue à Ordem de Santiago. O concelho estabeleceu-se séculos mais tarde, já em 1516, com o foral de D. Manuel I. Ao longo dos anos, manteve-se maioritariamente agrícola: milho, trigo, girassóis, beterraba e tomate eram e continuam a ser as principais culturas da região.

Apesar da força da agricultura, há também lugar para a pesca em Ferreira do Alentejo, nomeadamente junto à Barragem de Odivelas. Já no âmbito turístico, a região é procurada não só pela história, como pelas paisagens e zonas de caça que alberga.

Ferreira do Alentejo: pontos de interesse da vila alentejana

Capela do Calvário

A Capela do Calvário é também conhecida por Capela de Santa Maria Madalena – a quem a obra é dedicada – ou Igreja das Duas Pedras. O monumento icónico foi construído no século XVI e é hoje considerada como património cultural. A planta cilíndrica foge às convenções arquitetónicas e faz com que o edifício se destaque pela diferença. As dezenas de pedras de pequena dimensão que lá encontramos são uma referência às pedras atiradas a Jesus Cristo na via-sacra.

Feira Anual de Ferreira do Alentejo

A Feira Anual de Ferreira do Alentejo tem data marcada para o terceiro domingo do mês de setembro. Os festejos começam normalmente na sexta e estendem-se pelo fim-de-semana adentro. Durante os três dias, há muita música, comida, bebida, feiras de artesanato e quinquilharias, dança e diversão noturna.

Feira do Melão

Na festa em que o melão é rei não podiam faltar atividades em torno do fruto típico do verão. Além das habituais barraquinhas, há também lugar os concursos que pretendem eleger, por exemplo, o maior e o melhor melão ou o melhor doce feito a partir do fruto. Da atmosfera festiva fazem parte atividades culturais diversas.

Feira Nacional da Água e do Regadio

Ainda no âmbito das feiras e festas, há que destacar a Feira Nacional da Água e do Regadio. Durante o certame, animado com música e espetáculos, discutem-se as questões que dizem respeito ao setor da água. Todos os anos participam mais de uma centena de expositores, que aproveitam para divulgar produtos tradicionais do país, com destaque para os de Ferreira de Alentejo.

 

Jardim Público de Ferreira do Alentejo

O Jardim Público de Ferreira do Alentejo localiza-se no coração da vila e é um lugar obrigatório tanto para os que estão de passagem como para os que pretendem ficar uns dias por Ferreira do Alentejo. O espaço verde é indicado para dar um passeio ou passar o tempo com as crianças a brincar junto ao lago ou ao coreto.

Barragem de Odivelas

A Barragem de Odivelas foi construída em 1972 e é uma das maiores do Alentejo. Localizada na bacia hidrográfica do Sado, é assim designada por estar sobre a Ribeira de Odivelas. Ao longo dos anos, a barragem desempenhou um papel importante na agricultura, servindo para propósitos de irrigação. De lá podemos ver as planícies alentejanas, repletas de campos, sobreiros e oliveiras. É também um ponto obrigatório para ornitólogos, mais conhecidos como observadores de aves.

Praia Fluvial da Albufeira de Odivelas

Na albufeira de Odivelas, junto à barragem, encontramos uma das praias fluviais mais bonitas da região. Com cerca de 60 metros de extensão, esta zona é indicada para passar bons momentos em família, ir à pesca ou praticar desportos náuticos. Não é, todavia, uma boa opção para banhistas, já que a qualidade da água não é a melhor.

Ponte Romana de Alfundão

Alfundão uniu-se, em 2013, com Peroguarda para criar a União das Freguesias de Alfundão e Peroguarda. É lá que se encontra uma ponte que a população diz ser romana, embora não haja certezas se foi ou não construída durante esse período. O nome da própria terra leva a crer que sim, já que “Fundão” deriva da palavra “Fundana”, que seria o nome de uma família da época. O “Al” terá chegado mais tarde, na sequência da presença moura no território.

 

Partilhe este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *