Home / Cidades /

Celorico de Basto: a estação que é agora uma Pousada

Celorico de Basto: a estação que é agora uma Pousada

 

O encerramento da linha do Tâmega, em 1990, ditou o fim não só daquele troço ferroviário mas também de todas as estações de caminho-de-ferro que faziam parte do percurso. Os edifícios limitaram-se a fechar portas, alguns sendo usados para outras finalidades.

Porém, em 2013, quando foi aberta a Ecopista entre Amarante e Arco de Baúlhe, a chegada de biciclistas vindos de todos os cantos do país e até mesmo do estrangeiro, revitalizou aquela zona do país. É assim que, em 2015, dois anos depois da inauguração desta ciclovia com mais de 40 quilómetros, se prepara a reabertura da velha estação de comboios de Celorico de Basto… mas desta vez como Pousada da Juventude.

O edifício é histórico e tem quase um século. Os trabalhos de construção começaram em 1929 e foram terminados algures em 1932, altura da inauguração. Por aqui passaram inúmeros comboios e, mais do que comboios, passageiros. Ainda assim, a falta de tráfego na linha conduziu ao encerramento da mesma, no início de 1990.

Mas hoje, mesmo que já não exista um caminho-de-ferro junto à estação, a situação é muito diferente. A Ecopista atrai milhares de pessoas todos os anos. Por que não dar então uma segunda vida à estação de Celorico de Basto?

A recuperação da antiga casa do chefe da estação permite agora ficar ali alojado, num edifício onde se manteve a traça original e ao qual se juntou o conforto necessário a uma decoração simples com fotografias de paisagens da região nas paredes. Da janela virada para a linha e para a ecopista contempla-se a Senhora da Graça, a igreja situada no Monte Farinha, conhecido por ser uma das etapas míticas da Volta a Portugal em Bicicleta.

Em 2014, a exploração do espaço esteve a cargo do Parque de Campismo de Celorico de Basto. No entanto, em setembro de 2015 foi anunciado que a estação seria, brevemente, reaberta como Pousada da Juventude. Apesar da pousada ainda não ter aberto portas (a data será anunciada em breve), já se sabe que os preços por noite vão rondar entre os 10 e os 13 euros (varia conforme a época do ano). Além das camas individuais em camaratas, existe uma kitchenette cujo preço varia entre os 45 e os 60 euros.

 

Celorico de Basto: a ecopista que revitalizou a região

A estação de Celorico de Basto é o ponto 0 da ecopista do Tâmega. Para norte fica o trajeto de 17,2 quilómetros até ao Arco do Baúlhe, onde também existe um núcleo museológico. No troço que antecede a ponte de Matamá, antes da estação de Modim de Basto, é possível encontrar uma vista incrível para o rio Tâmega.

Para sul, são quase 22 quilómetros até à estação de Amarante. Passa-se pelas estações de Lourido, Codessoso, Chapa e Gatão, por zonas de floresta e xisto, por paisagens de rio e montanha.

Antes de ser desativada, a Linha do Tâmega ligava a estação de Livração (Marco de Canavezes), da Linha do Douro, à estação de Arco de Baúlhe (Cabeceiras de Basto), ao longo de mais de 50 quilómetros. Em 2007, as autarquias locais, a Refer e o Estado assinaram um protocolo que resultou na construção da Ecopista da Linha do Tâmega, uma via que atravessa Amarante, Celorico de Basto e Cabeceiras de Basto.

Procurada por quem vive cá e por quem vem de fora, esta ciclovia percorre uma das mais belas linhas ferroviárias do país. Basta ter uma bicicleta e muita energia para se lançar num passeio pelo património histórico e natural envolvente.

 

Partilhe este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *