Home / América do Norte /

5 Cidades Perfeitas Para Nómadas Digitais

5 Cidades Perfeitas Para Nómadas Digitais

 

Ser um nómada digital já não é uma profissão tão estranha como era há alguns anos atrás. Hoje em dia milhares de pessoas por todo o mundo decidem trabalhar a partir do seu computador portátil e ganham a liberdade de trabalhar a partir de qualquer parte do mundo. Juntado duas das coisas que mais gostam: o seu trabalho e as viagens.

Tim Ferriss celebrizou a vida dos nómadas digitais com o seu livro best seller: 4 Horas Por Semana” e desde então milhares de negócios foram deslocalizados para partes do mundo exóticas e até remotas.

Neste artigo descobrimos as 5 melhores cidades para todos aqueles que vivem a partir dos seus computadores portáteis e que também gostam de viajar. Na escolha para as cinco cidades foi tido em conta: o preço do arrendamento, a qualidade da ligação à internet, a presença da comunidade empreendedora e o bem estar geral.

5 Cidades Perfeitas Para Nómadas Digitais

Chiang Mai, Tailândia

Nada fazia prever que Chiang Mai se tornasse num centro para viajantes de mochila às costas e muito menos para aqueles que trabalham remotamente. Chiang Mai situa-se no norte da Tailândia a poucos quilómetros da fronteira com Myanmar, rodeada por floresta tropical e picos de montanha afiados.

Talvez o mais surpreendente nesta antiga cidade é o quão acessível se tornou, o custo de vida muito baixo e a quantidade de actividades disponíveis.

Chiang Mai tem ligação directa de comboio até Bangkok e partem autocarros desta cidade para todas as outras grandes cidades do país. A poucos quilómetros da cidade situa-se o Aeroporto Internacional de Chiang Mai com ligações directas para as principais cidades da Ásia a preços low cost.

Depois há que ter em consideração o quão barata a cidade é e a atmosfera geral que se vive nas suas ruas repletas de esplanadas e restaurantes com refeições a rondar o 1.5€. Digamos que é uma cidade de praia sem praia. É comum encontrarem-se outros nómadas digitais num dos parques a sul do centro e no clube nocturno Yellow Zoe. De nota é também o café inteiramente dedicado a nómadas digitais aberto 24 horas por dia e com café fresco a preços convidativos, localizado no moderno centro comercial Maya.

O preço de um apartamento fica nos 200€ por mês e não será preciso muito mais para se viver um mês completo. Para além de tudo isto há que ter em consideração as actividades que podem ser exploradas a poucas horas da cidade, como: o Grande Canyon de Chiang Mai, trilhos de trekking nas montanhas, o infame Triângulo Dourado a norte e a cidade new age de Pai.

Bucareste, Roménia

Quando se pensa em Bucareste a imagem de uma capital vibrante, com uma zona histórica rica e repleta de esplanadas por onde se junta a elite cosmopolita e intelectual do país, não nos surge com facilidade.

Contudo essa é a verdadeira Bucareste, a cidade que ficou conhecida como a Paris do Leste.

Se há cinco anos atrás era difícil ouvir falar inglês nas ruas de calçada romena hoje é uma constante. A beleza e o encanto de Bucareste para os viajantes é tão grande que nos esquecemos que ali se juntam as influências do império romano, do clássico século XIX e de uma longa ditadura comunista, que agora se misturam numa capital moderna e em rápido crescimento.

Quando um apartamento pode custar apenas 400€ por mês e uma refeição não ultrapassa os 4€ torna-se difícil acreditar que se está numa capital europeia. Bucareste oferece o melhor dos dois mundos: a tranquilidade diurna sem carros da Antiga Cidade e a rapidez e movimento das grandes avenidas rasgadas na época comunista. Quando a esta vida de capital se junta uma vida nocturna que se bate com as melhores do mundo a preços competitivos e um acesso à internet rápido e acessível, dá para perceber o porquê de tantos expats se terem rendido à capital romena.

Bucareste é uma cidade perfeita para aqueles que querem viajar e não se afastar muito de casa.

Austin, Texas

Austin não é a cidade mais conhecida da América e com certeza não é a primeira cidade de que nos lembramos quando se pensa no Texas. No centro do deserto texano, Austin surge como uma lufada de ar fresco num estado fortemente conservador e aborrecido.

Austin é também o lar de uma das maiores universidades da América do Norte, a universidade estatal do Texas, que abriga milhares de estudantes todos os anos. Esta forte presença estudantil torna Austin numa cidade universitária e com um espirito jovem e aberto à diferença.

Nos últimos anos foram muitas as empresas que procuraram relocalizar-se em Austin, tal como muitos empreendedores e viajantes que procuravam um sítio agradável a que pudessem chamar casa por alguns meses.

 

Todos os fins-de-semana a 6th street é fechada ao transito e torna-se numa enorme festa de rua. Durante os fins-de-semana é normal encontrar os habitantes da cidade a beber uma cerveja artesanal nas muitas esplanadas protegidas do sul com música ao vivo e barbecue grelhado na hora.

Austin apresenta uma temperatura anual acima dos 20 graus e a precipitação é quase nula, o que faz desta cidade perfeita para aqueles que procuram fugir ao Inverno. Para terminar é de referenciar que Austin é das cidades mais baratas da América do Norte.

Medellin, Colômbia

Medellin é uma cidade que custa a acreditar que existe. É uma cidade que faz justiça ao estilo literário do Prémio Nobel colombiano, Gabriel Garcia Marquez: realismo mágico.

A capital do estado de Antioquia tornou-se mundialmente conhecida graças a um homem, e pelos piores motivos: Pablo Escobar pôs Medellin no mapa como a capital mundial do narcotráfico. Durante mais de uma década esta cidade foi considerada uma das mais perigosas do mundo e um local frequente para raptos.

Contudo, muito mudou em 25 anos na segunda maior cidade colombiana. Hoje em dia Medellin é uma cidade tão convidativa a viajantes e nómadas digitais que tenta-se não falar da sua beleza natural, da simpatia das pessoas e das excelentes condições de vida de modo a não ser invadida por turistas.

A temperatura média ronda os 24 graus e a cultura de café atinge o seu expoente máximo nesta cidade que apresenta o dinamismo e sofisticação de uma grande cidade e ao mesmo tempo o estilo de vida relaxado e tranquilo de uma cidade sul americana.

Se os preços já eram muito convidativos, desde o ano passado tornaram-se ainda mais baixos: o peso colombiano perdeu metade da cotação, o que fez que o arrendamento de um apartamento T3 não ultrapasse os 500€.

Ao contrário de outras cidades na área que já foram invadidas por expatriados americanos, como o Panamá, e outras em que a criminalidade não deixa um viajante seguro, Medellin é neste momento uma das cidades mais seguras do continente.

Tudo isto fazem de Medellin um dos locais mais convidativos para quem procura trabalhar remotamente e ao mesmo tempo ter um estilo de vida com uma qualidade acima da média.

Belgrado, Sérvia

Tal como qualquer outra cidade na Europa Central, Belgrado apresenta uma posição geográfica privilegiada: 5 horas até Budapeste, 3 horas e meia até Zagreb, 6 até Viena, um pouco mais até Bratislava e com a Grécia, Bulgária e Roménia mesmo ali ao lado.

Belgrado, tal como Medellin, é uma cidade que ainda vive com a má fama que o passado de guerra e violência lhe deixou. A guerra dos Balcãs destruiu uma parte significativa da cidade e manchou para sempre o nome de Belgrado, – não se pode dizer que haja turismo na capital sérvia.

Aquilo que se encontra são muitos viajantes de mochila às costas e outros que a descobriram desse modo e resolveram estabelecer-se de forma semi-permanente na antiga capital da Jugoslávia.

Belgrado é uma surpresa para o viajante mais distraído, pois dificilmente estará à espera que esta cidade se aproxime mais da clássica Viena do que de uma qualquer cidade industrial soviética. O classicismo da arquitectura divide os louros com a agitada cena nocturna e com a dezena de cafés, bares e locais de co-working disponíveis no centro da cidade. Belgrado apresenta uma atmosfera tão relaxada e citadina que chega a ser estranho associar essa realidade à imagem mental que se tem.

Finalmente há que dizer que Belgrado continua a ser uma das capitais europeias mais baratas.


 

Partilhe este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *